quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Cama no chão






Quase a minha cama
No chão, quem dera
Não ser de cimento 
E a noite quase dia

Pra que se anule
Esta vontade de ficar
Por tudo e fazer-me
Ao céu com tudo quase

O que acontece de novo
Por já ser de dia
No chão tijolo burro
Da minha oficina

De "mago de vontade
Pouca", quase cama 
Na sala do pouco
Amar-me-eu-não

Faço da cama minha, 
Esse duro chão cimento...




Joel Matos (01/2017)
http://joel-matos.blogspot.com


Sem comentários:

Às vezes

Às vezes, o que resta na mão nos foge, Tal e qual como num livro a palavra fim, Sinto um vidro fosco ente mim e essa luz Que ...