Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Março, 2016

Eu digo não ...

Eu digo não …
Eu digo não … Eu digo não ao brilho tolo,
Não quero em fatias curtas,
A vontade dum povo todo,
Quando é a vítima e o bobo, Não quero viver ansiando,
Por migalhas tam-poucas,
Sendo eu Interprete terrestre
E actor das Histórias loucas, Desta gente com coragem
De dizer – Não ..Não
Quero a minha vontade presa,
Nem a prisão de pensar ser outro O brilho ou ver o brilhar
Não daquilo que querem 
Que eu veja e deseje nas montras
Mas o que me interessa ter, A fatia do pão e não o bolor do bolo
E a mesa cheia de quem interpreta
A historia louca deste povo,
Que não é idiota nem tolo, Mas a cereja rubra do topo
E quando “se toma de razões”,
Que se cuidem os “Dons”
Todos, senão “Ai Jesus Maria” Joel Matos (03/2016)
http://joel-matos.blogspot.com

Pra que sirvo ...

Pra que sirvo …
Pra que sirvo, quanto a mim
Vivo pra que me ouçam
E escutem, não tanto aqui 
Onde me encontro amiúdo, Mais na dimensão desse todo o mundo 
Que não é mudo, e do que me vê, 
Não ao vivo mas que alimenta este cego,
Vivo por isso sem prazo medido E o meu preço é curto miúdo
E tudo isto…no fundo o modo
Como me escutam
E pra que sirvo, quanto a mim Prefiro a penumbra sonolenta 
Do swing, 
No meu canto apoiado p’los cabelos
Sonhos desgovernados mas sonhos, Apenas sonho, mas sonhos mesmo. Joel-Matos (03/2016)
http://joel-matos.blogspot.com

Gostaria de estar inspirado ...

Gostaria de estar inspirado,
Isso não impede que repita
A descrição da minha relação
Com a vida dos outros e com

A particular que vivo quando
Dou por isso, a que gastei dela
E a utilidade de a ter e quanto
As pequenas coisas são todas

Minhas,o principio e fim que têm
Elas excepto as sensações que tive
Essas são do testamento a folha
Ilegível, o cerimonial do morto,

Às terças gosto de estar inspirado, 
Em geral estou sempre muito,
Hoje estou pouco, apenas repito
Sem alterar nada para melhor,

O respeito que por mim tenho,
Gostaria de continuar inspirado
Na vida dos outros que ocupo 
Eu menos que gotas simples 

Num mar de ondas tímidas...


Joel Matos (0372016)

Passagem ...

Passagem …
Viajar segundo um outro, é perder 
Perder-se constantemente,ser outro
E viver somente do que é passagem 
E do passar pra não passar em seguida, Viajar segundo esse outro é não ter 
Raízes na alma e nem no mundo,
Porque doutros os sonhos se avistam,
Embora não consigam ganhar ao Terreno onde a minha viagem física
Se realiza fora de portas e de pistas,
Perco-me tão constantemente do que
Fora, pra nunca ser devolvido igual Nem idêntico ao remetente que devia
Viajar segundo, eu primeiro viajo
Depois conto segundo o que senti,
Não primeiro, apenas eu outro país Nação, perdido em mim viajo, viajo,
Viajo constantemente e apenas
Pra passar países doutros mas tanto,
Tanto meus que não canso ser deles, Paisagem, solo, pinheiro, cimento, cal… Joel Matos (03/2016)
http://joel-matos.blogspot.com

O iniciado ...

O iniciado …



O Iniciado (nao o concluído)Não o gesto mas a posição das mãos,
Dos braços ao externo,
Não o que se diz p’la boca, mas como e se fora
Gerado,o espontâneo,o oculto, 
Não posição, condição ou género, mas valia,
Insurgência, extremo,
Não o lógico, mas paixão, emoção, 
Sentimento,
Não a concha da mão, sem oferta,
mas aberta noutra ou nesta,
Não o que se pensa ser o limite, o fim,
Mas o incalculável,
O imensurável,o cimo, 
Não a linha mas a corda,
Não o que se sente completo, feito,
Mas o inconcluso, 
O exagerado,
O insaciado, 
O livre,
O rubro,
O manco,
O maníaco,
O não citado,
O incompleto,o oculto
O malfeito,o malcontente,
O Incógnito, o não crente,o louco O obtuso, o bode,o culto,o ciente, 
O Iniciado, nao o concluído, o gerado com amor,
Não aquele que alinha mas o que acorda,
O que sonha, o não sentado, o que morde, o que rosna… A revolta, não o sistema nem o molde, Antes a posição do rosto, face à mão, ao pulso
E ao externo… joel Matos (02/2016)
httP://joel-matos.blogspot.com

Tão tanto ...

Permitam-me o que vou dizer
E não é segredo, nem será
Depois de dito, nem será
O que parece ser e acabou

Sendo pois nada desse secreto
Estranho, discreto som vou 
Emitir se o prezo aquando contar
O segredo que tenho pra

Dizer, obsceno quanto o 
Que'screvo e não devo
Não por mim mas por ontem,
Não por outrem, o que vou

Dizer contém o anseio
Que pudessem ser o eu
Que eu não sei ler ver,
A alma de quem a tem, não eu,

O simples fazer chamar o céu
Terra e ao silencioso 
Chão caixão meu segredo, meu...
Permitam-me estar a sós comigo

E com o meu franco cabelo,
Pra depois dizer a todos
Que nem alma tenho,
Mas em segredo guardo

As memorias que componho,
Eu tenho ao ouvir-me pensar
O que parecem ser
Só em si, sonhos de estranho

A quem se permite
De quando em quando,
Quem eu dantes era ser
Ou pensei que fosse 

Ser hoje tão, tão tanto...



Joel Matos (02/2016)
Http://joel-matos.blogspot.com


Garças voam e não voltam ...

Falando de Garças,
Dessas que chegam 
Onde o meu olhar é 
Céu, Dessas que voltam

Assim que a chuva acaba,
Nas costas do gado,
Melancólicas, como
Se possuíssem seu

A alma do prado,
Não só nas penas
Mas na certeza ou dúvida
De serem atalaia

Da vida e da Terra,
Pra que não a violentem 
Enquanto esperam
Nas costas do gado,

Assim que a chuva passa,
Falando das Garças
De que a gente, tão
De perto ignora e olha

Olha e ignora,dessas
Que voam e voltam
Voam e voltam
voam e não voltam.


Joel matos (02/2016) 
http://joel-matos.blogspot.com