quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Os amantes suicidam-se duas vezes




Os amantes suicidam-se
Pondo final à vida duas vezes,
Já eu não me decido
A amar a vida tanta, ponto final,

Fui vencido p'lo meu sonho,
De ansiar ser amado
E apenas me lembro,
Do sorriso suave da boca,

Sinónimo de paixão
P'la vida, quando a tinha.
Os amantes suicidam-se
Como se fosse nada, 

A vida sem depois, pois eu
Sinto o destino a sós 
Comigo e pela primeira
Vez faz tempo, lembro que 

Nos amá-mos os dois até ao ódio 
E a mágoa mas infelizmente 
Este não diz o que espero
E eu dele me desprego,

Os amantes suicidam-se 
E eu morro de um sonho outro
Que é ser amante do destino certo,
Mas não consigo, não posso

Ou não quero um, escrito
Em envelope fechado 
Um amor que, se bem me lembro,
Me fez medo da própria sombra,

Ou morte...



Joel matos (01/2016)
http://joel-matos.blogspot.com



Sem comentários:

Doze

Doze -Doze nós, tem uma figueira Ao medir-se dentro de nós, em vidas Que a gente tem e não sabe explicar, -Doze é a di...