terça-feira, 28 de outubro de 2014

Poeta em falta...



Esgotei o tema da sabedoria
E a paixão deu em óxidos e corpos
Fecais a boiar anónimos imersos no escuro,
Pensamentos adúlteros, soltos

Queria ter meus escalpelos,
Cavalos à solta, fatais
Cascos e muito mais sal,
Que um mar morto. Eu, em fim de vida,

Esgotei o tema a teoria e a textura,
De que, o que na alma se faz, é d'ouro
E repousa no meu coiro, ou escombro...
Mas o vento mudou a fasquia

Que na terra estava pro tordo céu
Ainda que, a franquia não...
Não desacompanhe o razoável
E reles, paralelo pensar, tenho

Meu, não me outorgo poderes
Especiais, ou apostiços pelos, opto
Pelo que sei, em detrimento
Do que exclamo, rogo e do substituível

Sentido que possuo na manga,
Eu manquejo, de uma manca perna ou pata,
Que emprego quando não percebo
Por onde anda a minha torda veia de poeta,

Em falta…

Joel Matos (10/2014)

Sem comentários:

Às vezes

Às vezes, o que resta na mão nos foge, Tal e qual como num livro a palavra fim, Sinto um vidro fosco ente mim e essa luz Que me ...