terça-feira, 27 de novembro de 2012

Deus, que é feito de ti...



Deus, que é feito de ti,
Se é que existes ou me ignoras,
Pois quando dou por mim,
Olhando o céu, sem estrelas,

Sinto um total desalento,
Que não é( nem pode ser) humano
E aí me sinto tonto,
Amargo e insano,

Procuro e não te encontro,
Fantasma hediondo ou monstro
Diz-me, que é feito de ti,
Mago, Magano ou batoteiro,

A alma a que me prendeste,
Tresanda a peste e fel,
Faz-me sentir repugnante,
Gane como um perro fiel,

Presa na trela do eterno senhor.
Deus, que é feito de ti,
Diz-me por favor se este horror
Que sinto é só por não me achar, nem a ti,

Ou é uma partida do Demo, de mau gosto,
Do ermo, da infinita negação,
Horror de desconhecer teu rosto,
Horror de não ter o teu perdão,

Deus, que é feito de ti,
Que tão frio e fundo é o vazio
E o ódio que me corrói assim,
Deus, que é feito de ti…

Joel matos (11/2012)

Sem comentários:

Às vezes

Às vezes, o que resta na mão nos foge, Tal e qual como num livro a palavra fim, Sinto um vidro fosco ente mim e essa luz Que me ...