terça-feira, 26 de outubro de 2010

Viagem sem retorno



Não há paisagem,
Que ame mais que a vida;
Habito essa viagem,
Da voz à deriva, 
(E sem rumo)

Não deixo na Terra,
Uma só vagem de vida,
Talvez  a minha margem,
Seja a da silva agressiva,
Que transporto na bagagem,
Do imaginário desarrumo...

Joel Matos...
(10/2010)
http://namastibetpoems.blogspot.com

Sem comentários:

Às vezes

Às vezes, o que resta na mão nos foge, Tal e qual como num livro a palavra fim, Sinto um vidro fosco ente mim e essa luz Que me ...